Perfis de movimentação em campo em grama sintética | novo tópico da série Estudos FIFA – parte 8

Em nossa série: Será que a grama sintética modifica os padrões dos jogos de Futebol? já fizemos muitas descobertas, muitos mitos a respeito da utilização da grama sintética de qualidade, e é importante ressaltar esse ponto, estão sendo desmistificados, nos post´s anteriores conferimos os resultados das avaliações dos testes de rendimento físico  tais como aceleração, performance tática e muitos outros, hoje abordaremos os perfis de movimentação e os intervalos de tempo de jogo.

Perfis de movimento de alta intensidade

As figuras 13 e 14 mostram o perfil de movimentação de um jogador em particular (o jogador X) nos dois tipos de gramado.  Pode-se observar que, embora esse jogador  tenha jogado na mesma posição (meio de campo) e o time atuou com a mesma formação em ambos os jogos, a demanda física e o tipo de movimentação  de alta intensidade requeridas foram um pouco diferentes nos tipos de gramado.

O posicionamento geral do jogador em questão é relativamente semelhante nos dois gramados, no entanto, a composição do tipo de execuções não é tão consistente.

O tom mais forte das cores nas setas  no perfil de movimentação do jogador indicam maior velocidade nesse movimento em particular. Esse perfil de movimentação na grama natural (ver. Figura 14) mostra um maior número de execuções de arranques  ou corridas de velocidade na entrada (em vermelho) e , além disso, também é mais perceptível  observar as corridas de retorno para o outro lado do campo nesse tipo de gramado.

Resistencia física – quebrando o tempo de jogo

Quando a analise do tempo de jogo é dividida em pequenos segmentos (por exemplo de 30 em 30, 15 em 15 ou a cada 5 minutos) é possível começar a avaliar se o tipo de gramado afeta a resistência física dos jogadores – bem como sua habilidade de manter seu desempenho físico do começo ao fim do jogo. Esses dados também podem ser utilizados como um indicador de desgaste ou fadiga durante as partidas.

Período de 30 em 30 minutos

Como esperado, em média, há um pequeno declino de desempenho físico, assim como mostram as figuras, no segundo período de 30 minutos em ambos os gramados. Ao observarmos a distância total em particular (ver figura 7), o decréscimo da primeira para a segunda metade é consistente em ambas as superfícies. A queda percentual também é comparável [1,72% contra 2,19% na grama sintética e grama natural, respectivamente].

(Figura 7 – Football turf = grama sintética  - Natural grass = grama natural  - League average = Média da Liga)

Períodos de 15 minutos

Quando o tempo de analise de jogo é quebrado em segmentos ainda menores como períodos de 15 minutos, uma tendência semelhante pode ser observado para a distância total percorrida, ou seja, há um declínio gradual durante todo o jogo a partir dos primeiros 15 minutos para o último em ambos os gramados. Esta descoberta apoia  a compreensão de que a superfície de jogo não afeta as tendências de resistência física e, portanto, a capacidade dos jogadores.

Ao considerar a distância média entre atividades de alta intensidade (HI) nos períodos de 15 minutos, alguns resultados interessantes surgem. Em média, os dados sugerem que as equipes começaram os jogos em maior intensidade na grama natural com maior distância de alta intensidade percorrida durante os primeiros 15 minutos de jogo nesse tipo de grama.

Durante o tempo entre 15 e 30 minutos, no entanto, uma diminuição relativamente acentuada da distância coberta nas atividades de alta intensidade é observada em grama natural, em comparação com a diminuição mais conservada na grama sintética ao longo do mesmo período de tempo (ver fig. 6). Este gráfico também destaca que, embora a distância percorrida seja geralmente maior na grama natural do que na grama sintética durante o segundo período de tempo medido, não há realmente uma grande diferença nos traços do mesmo, em média, no final de 15 minutos do jogo na grama sintética. Esta descoberta pode ajudar a dissipar o preconceito potencial de que a grama sintética tem um efeito limitador sobre as capacidades resistência física dos jogadores que não estão familiarizados com esta superfície de jogo

.

Períodos de 5 minutos

Quebrando os parâmetros físicos para baixo em sequencias/períodos de 5 minutos, temos um  nível maior de sequencias e isso permite uma avaliação mais completa do desempenho físico  durante todo o jogo. A figura 7 mostra, para a distância total percorrida, que as tendências, em muitos aspectos são praticamente espelhadas de um tipo de grama para outro. Isto proporciona mais evidências para sugerir que o efeito da superfície de jogo no rendimento físico é limitado e que não tem influencia significativa. Esse gráfico também mostra, contudo, com mais detalhes um aumento de rendimento físico e possivelmente na “taxa de trabalho” na grama sintética ao final do jogo. Um aumento acentuado na distância total percorrida pode ser observado a partir de 80 minutos em diante na grama sintética, enquanto os valores para os cinco minutos finais, na verdade, mostram um declínio na grama natural.

 

Tendências de durante a temporada

A fim de avaliar se condições de jogo e, portanto, as estatísticas de desempenho foram afetados durante toda a temporada por mudanças nas condições climáticas, foram considerados dados do time da casa de forma isolada e em ordem cronológica durante toda a temporada (de março a novembro de 2011). Usando apenas os dados da equipe da casa para esta análise de tendência em particular, observou-se que, estilos de jogo e capacidades da equipe foram relativamente consistente de jogo para jogo. Os dados devem ser analisados com cautela, pois a avaliação não é entre um tipo ou outro de superfície e sim a respeito do desempenho das equipes da casa,  porém como o ritmo de jogo e mesmo o desempenho de um jogo para outro possa ter variado um pouco, mesmo jogando em seu gramado habitual, pode-se concluir que o tipo de gramado não tem influencias grandes no desempenho dessas equipes.

A figura 8 mostra os dois conjuntos de dados de jogos casa desde o início até o final da temporada para distância percorrida. As linhas de tendência linear mostram que a distância percorrida é mantida durante toda a temporada na grama sintética, enquanto um ligeiro declínio é observado nos dados de jogos disputados em grama natural.

Naturalmente esse dado pode ser resultado da aptidão desses dois times de jogar de forma semelhante nos dois tipos de gramado. Neste caso específico, pode ser afirmado que a grama sintética, na verdade, aumenta a capacidade de um jogador para executar os movimentos de forma consistente ao longo da temporada, uma vez que a superfície de jogo não é afetada pela mudança das condições meteorológicas ou clima adverso.

Não perca nos próximos post´s os resultados detalhados na analise tática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>